• camila bolçone

Os 5 Indicadores de um Plantio de Qualidade

Atualizado: 30 de set. de 2021

Nas próximas semanas, mais uma safra se inicia nas diferentes regiões do Brasil e, para alcançar as maiores produtividades na lavoura, é essencial que o plantio seja bem feito. Uma boa plantabilidade garante o melhor aproveitamento do espaço e dos nutrientes pela planta, além de evitar a competição e o aparecimento de plantas daninhas. Nesse blog abordaremos os 5 principais indicadores de um plantio de qualidade e como a agricultura de precisão é nossa aliada na otimização desses índices.


1. O que é plantabilidade?


Segundo o professor Paulo Arbex (UNESP-SP, Grupo Plantio Direto), o potencial produtivo de uma lavoura é definido no momento da semeadura, de modo que uma boa plantabilidade, em conjunto com sementes de qualidade, influencia diretamente no atingimento de altas produtividades.


Mas afinal, o que significa o termo "plantabilidade''? A plantabilidade significa a deposição correta de sementes e adubo pela máquina, de modo que o espaçamento entre os insumos nas linhas seja o mais homogêneo possível. Além disso, a profundidade e população de sementes por hectare devem estar de acordo com as recomendações da cultivar.

Em outras palavras, a plantabilidade tem como objetivo principal garantir uma homogeneidade ao estande, para que as plantas tenham as melhores condições de desenvolvimento possível. Os principais fatores que a plantabilidade influencia são:


· a incidência de luz sobre cada planta;

· a disponibilidade de água no solo;

· a inibição do desenvolvimento de invasoras;

· a disponibilidade de nutrientes.


Como você deve ter percebido, a plantabilidade é um termo amplo, que se refere a diversos aspectos do plantio.


Mas então, como podemos medi-la? Como saber se sua lavoura obteve uma boa plantabilidade?

Para verificar a plantabilidade, foram definidos alguns indicadores, que iremos explorar a seguir. Também introduziremos o conceito do Coeficiente de Variação (C.V.), o qual avalia numericamente a qualidade da semeadura.

Por fim, vamos te apresentar um cálculo criado pelo professor Paulo Arbex (UNESP - SP / Grupo Plantio Direto), o qual traz uma estimativa de prejuízo econômico causado por problemas no plantio.

Vamos lá?

(Foto de lavoura com plantio feito utilizando desligamento linha a linha Agrosystem)


2. Os 5 principais indicadores da boa plantabilidade


a. Ausência de falhas


(Falhas na lavoura- vista superior)


Define-se como falhas os espaços vazios nas linhas da plantação. Esses problemas são causados principalmente por erros no plantio, normalmente problemas com o maquinário, e influenciam diretamente na produtividade.


A principal influência das falhas na produtividade se deve ao aparecimento de plantas daninhas nesses “espaços vazios” (devido às condições favoráveis de crescimento), que irão competir com a cultura por nutrientes, água e luz.


Além disso, as falhas impactam também em uma menor população por hectare, e consequentemente em uma menor produtividade.


b. Ausência de plantas duplas e triplas


(Plantas duplas e triplas- Foto Grupo de plantio direto)


Quando há uma proximidade grande entre as plantas, elas podem ser consideradas duplas ou triplas. O espaçamento entre plantas pode ser considerado duplo quando a distância entre elas é inferior a 50% do espaçamento recomendado. No caso da soja, esse espaçamento ideal é de 7 a 10 cm, para o milho 0,40 cm e para o algodão entre 11 a 14 cm, todos dependem sempre das cultivares e da região de plantio.


Segundo o professor Paulo Arbex (UNESP - SP / Grupo Plantio Direto), a proximidade entre as plantas pode causar competição entre elas, gerando uma situação chamada “planta dominada”, na qual a planta com maior vigor tende a crescer mais que a de menor vigor, prejudicando assim a absorção de água, nutrientes e radiação solar por parte da planta menor.


O manejo fitossanitário também pode se tornar mais difícil quando há plantas duplas e triplas, pois as plantas de maior porte tendem a dificultar a aplicação de defensivos no terço inferior da planta. Além disso, as de maior porte podem apresentar tendência ao acamamento, fato que dificulta a colheita. Todos esses fatores tendem a impactar diretamente a produtividade final da lavoura.


c. Ausência de sobreposição de linhas

A sobreposição de linhas é um indicador de uma lavoura que teve problemas no plantio. Os prejuízos são os mesmos citados acima para plantas duplas e triplas, ou seja, são causados principalmente devido a duas ou mais plantas disputarem o mesmo espaço.


A avaliação desse indicador pode ser feita visualmente no campo, quando duas linhas se sobrepõem.

d. Profundidade uniforme das plantas



(Profundidade de sementes)


A profundidade uniforme entre as plantas é outro indicador de um bom plantio, visto que a desuniformidade nesse quesito traz alguns problemas produtivos.


A profundidade ideal depende de alguns fatores, como: o tipo de semente, o tipo de solo, a umidade do solo e de uma regulagem adequada da semeadora.


As sementes quando depositadas muito profundamente não irão germinar e emergir no tempo ideal, da mesma forma que quando estão muito na superfície do solo podem ter dificuldades de germinar, devido a dificuldade de absorver a quantidade ideal de água, além de ficarem à deriva para ataques de insetos pássaros.


A profundidade irregular ainda traz outro problema: a emergência desuniforme entre as plântulas, o que gera competição, entre as que emergiram primeiro com as que irão emergir depois, por espaço, luz, nutrientes e água.


Fazer a semeadura de soja com a profundidade de 3 cm a 5 cm e do milho de 3 cm a 7 cm, é o recomendado para uma boa germinação e emergência de plântulas.

e. Uniformidade de germinação e emergência das plântulas;


A germinação e emergência de plântulas são uniformes quando a lavoura se desenvolve ao mesmo tempo. Esse indicador está diretamente relacionado com a profundidade e com a qualidade da semente escolhida, e como citado no item anterior, afeta diretamente na competição entre as plântulas, favorecendo as que emergiram primeiro.


A avaliação desse indicador pode ser feita visualmente no campo, ao comparar se há uniformidade entre as alturas das plantas de um mesmo estande.

3. Coeficiente de variação (CV)


Uma outra forma de avaliar a qualidade do plantio é por meio do cálculo de coeficiente de variação (C.V.). Essa medida calcula a variação da amostra em relação a média, ou seja quanto maior o C.V., maior a diferença em relação a média, havendo assim mais irregularidades na lavoura.


A medição do C.V. é feita medindo a distância entre as plantas das linhas de plantio em 5-10m de cada uma das linhas. Isso é necessário para avaliar a diferença que pode ocorrer na distribuição de sementes entre as linhas da semeadura.


O cálculo pode ser feito utilizando a fórmula abaixo, na qual Xi é a distância entre cada planta e X é a média da amostra.


Note que um CV ideal, ou seja, com uma distribuição adequada, é igual a 0%, conforme ilustração abaixo.


Fique de olho nos próximos posts desse blog pois continuaremos abordando o tema do CV.







3. Prejuízos de uma plantabilidade ruim


Acima observamos os principais indicadores de um plantio de qualidade.


Mas como tudo isso impacta no bolso do Produtor?

Confira abaixo uma simulação dos prejuízos econômicos que as falhas podem trazer, segundo cálculos desenvolvidos pelo professor Paulo Arbex (UNESP - SP / Grupo Plantio Direto).


Exemplo de prejuízo econômico devido a problemas de plantio em uma lavoura milho, considerando, cálculos do Grupo de plantio direto

  • População: 3 plantas/Hectare

  • Disco de plantio de 40 furos

  • Uma volta do disco = 40÷3 = 13,3 m

  • 1 falha por volta do disco

  • Espaçamento entre plantas: 0,45 m

  • 1 Ha= 10.000 m²

  • 10.000÷0,45 * 1 = 22.222 m linear

  • Total de Falhas: 22.222 ÷ 13,3= 1670 falhas/Hectare

  • Espiga: Aproximadamente 200 g

  • 1670 x 200= 334 kg ou 5,5 sacas/ hectare

  • Saca milho : R$98 Reais

  • Prejuízo decorrente das falhas no plantio: R$ 495/ hectare

Ou seja, no exemplo acima, considerando uma falha a cada volta do disco de plantio, o prejuízo na lavoura do milho seria de R$495/Hectare.


Já deu para perceber o peso de problemas no plantio no bolso do produtor, não é mesmo?

É possível calcular a plantabilidade e o prejuízo econômico pelo aplicativo gratuito do GPD.


4. Soluções Agrosystem


Como observado, a qualidade do plantio está diretamente ligada com altas produtividades e consequentemente com ganhos econômicos. Atualmente, com a tecnologia de agricultura de precisão disponível, possuímos diversas soluções no mercado para gerenciar e monitorar seu plantio para que ele tenha o melhor aproveitamento de insumos.


A Agrosystem é pioneira no mercado brasileiro em soluções para o plantio desde 1989, e tem diversas soluções para garantir um plantio perfeito: sem falhas, sobreposições e plantas duplas/triplas.


Conheça abaixo nossos módulos exclusivos para monitoramento e controle de implementos o Intelliag e sua evolução ISO6, com os quais você terá total controle sobre o seu plantio.


(Módulo Intelliag ISO 6 Agrosystem)

Conheça seus benefícios:


a. Evite falha no plantio

b. Evite sobreposição e perda de produtividade

c. Faça aplicações em taxa fixa e variável

d. Faça desligamento linha a linha

e. Realize plantio em curvas

f. Monitore até 196 linhas

g. Compatível com 99% das telas do mercado

Conclusão


Os indicadores de um plantio de qualidade nos mostram que grande parte dos problemas podem ser evitados com um bom maquinário, uma regulagem adequada e com tecnologias de agricultura de precisão. Visto a relevância que o plantio tem na produtividade final da lavoura e no bolso do produtor, se torna essencial que ele seja feito com a maior qualidade possível.


Nossas tecnologias têm grande credibilidade e aceitação no mercado, e te trará maior precisão em suas atividades no campo.


Quer saber mais sobre nossas soluções de plantio? Acesse: https://www.agrosystem.com.br/agricultura-de-precis%C3%A3o




Elaboração do artigo: André Brandt Alves

Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), com MBA em Marketing pela ESALQ/USP.


495 visualizações